Autor Tópico: Júpiter-14 anos depois do cometa  (Lida 1232 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline GabrielVeiga10

  • Mensagens: 5
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
Júpiter-14 anos depois do cometa
« em: Junho 15, 2008, 07:16:49 pm »
Dia 16 de julho de 1994.Os telescópios do planeta Terra estão focalizados no planeta Júpiter,num ponto bem pertinho do pólo sul.Do espaço,o Telescópio Espacial Hubble e a sonda americana Galileu também estão com as câmeras voltadas para o gigante.Por trás dos monitores desses potentes equipamentos,os pesquisadores esperam ansiosos o maior espetáculo astronômico jamais assistido ao vivo:21 fragmentos bombardear Júpiter.A expectativa é grande porque,com a colisão,eles esperavam "capturar"mais dados sobre o maior planeta do sistema solar e,de quebra,descobrir mais sobre a estrutura dos cometas.O show de luzes e manchas dura seis dias.
 A Galileu teve problemas técnicos numa das antenas,o que provocou atraso na transmissão de dados.Ainda assim,as informações da sonda sobre o brilho,o calor e a luz emitida pelos fragmentos foram fundamentais para confirmar e, em alguns casos,acrescentar detalhes ás observações do hubble e dos telescópios terrestres.

 Tempo:0 segundo
 Um fragmento entra na atmosfera jupiteriana superior,como um meteoro.Depois de um ano analizando os dados coletados pela sonda Galileu,pelo Telescópio Espacial Hubble e pelos observatórios em Terra,os astrônomos confirmaram que a velocidade do bólido era de 220 000 quilômetros por hora.A primeira camada gasosa que envolve Júpiter,os astrônomos já sabiam,é muito rala,composta principalmente de hidrogênio a uma temperatura de 1 200 graus centígrados.

 Tempo: 12 segundos
 O bólido chega ás camadas inferiores e produz dois flashes.Tudo indica que o primeiro foi provocado pelo choque com os gases dessas camadas,normalmente a 150 graus centígrados negativos.Sete segundos depois,a sonda Galileu viu um segundo flash,seguido de uma grande explosão e uma coluna de fogo.A temperatura dos gases,nesse instante,explodiu para 7 200 graus positivos.

 Tempo: 1 minuto
 A coluna de gases e estilhços superaquecidos expande-se a 43 200 quilômetros por hora e chega ao topo da camada superior,a 3 300 quilômetros acima da camada inferior,onde é fotografada pelo Hubble.A Galileu registrou o brilho e o calor da coluna.Á medida que a bola de fogo subia,seu diâmetro aumentava de 10 para 250 quilômetros,enquanto sua temperatura caía de 4 800 graus para meros 250 graus centígrados.

 Tempo:6 minutos
 A Galileu e os observatórios da Terra detectaram intensa radiação infravermelha,ou seja,calor.Na época,esse fenômeno foi chamado de evento principal.Hoje,os cientistas sabem que a radiação não veio do impacto em si:já era um efeito dos estilhaços que,produzidos pelas colisões,foram lançados para o alto e depois caíram como chuva de pedras,aquecendo a atmosfera superior.Em alguns casos,essas chuvas estendiam-se por áreas superiores ao diâmetro da Terra.

 Tempo:1 hora
 Os restos dos estilhaços formam uma imensa mancha escura,"apoiada" sobre a camada superior da atmosfera.A violência da trombada quebrou as moléculas do fragmento.Os átomos livres se juntaram então ao hidrogênio e ao metano de Júpiter,criando novas substâncias.Os compostos de carbono e de enxôfre detectados pelo Hubble e outros telescópios terrestres explicam a cor negra:eles são substâncias normalmente escuras.

 Tempo:2 meses
 Os pesquisadores observam a dissolução da mancha escura,em forma de anel.A fumaça formada por metano e outros compostos de carbono é varrida por ventos da alta atmosfera e encobre parcialmente a face do planeta.Os pesquisadores também concluíram que,ao mesmo tempo,os microscópicos grãos de fuligem começam a se aglomerar,formando partículas maiores,que acabam caindo de volta sobre o planeta.
 
 Tempo:1 ano:
 A maior parte das partículas pesada de fuligem gordurosa já mergulham de novo na densa atmosfera jupiteriana provavelmente até a camada internas,inacessíveis aos equipamentos de observação.Dois meses atrás,os detectores percebiam ainda uma leve neblina,cada vez mais tênue.Agora,as cicatrizes deixadas pelo SL-9 somem,debaixo da pesada cortina de gases e de mistério que envolve o planeta gigante.

 Tempo:14 anos
 A superfície de Júpiter volta ao normal como era antes do impacto,mas ainda existem abalos sísmicos de vez em quando devido a violência do impacto e essa será uma cicatriz que deverá ficar para sempre no gigante.
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por Guest »



Offline TiG

  • Astro-Curioso
  • **
  • Mensagens: 111
  • Karma: +0/-1
  • Sexo: Masculino
    • Ver Perfil
Re: Júpiter-14 anos depois do cometa
« Responder #1 em: Agosto 24, 2009, 04:10:16 pm »
Júpiter é realmente um grande escudo da Terra ;)
Felizmente para todos nós!
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por Guest »

Tags: