Autor Tópico: observações de jupiter com um refrator F/15  (Lida 2165 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Bruno vieira gonçalves

  • Mensagens: 9
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
observações de jupiter com um refrator F/15
« em: Agosto 15, 2011, 12:54:43 pm »
Resolvi criar este tópico sobre observações do planeta Jupiter, por ser o planeta que melhor recompensa o estudo, pela grande quantidade de interessantes detalhes visíveis, por constantemente estar apresentado mudanças, e por estar se aproximando da Terra.
Com a vantagem de o encontrar-mos em oposição a cada treze meses, ele pode ser estudado regularmente por um longo período de tempo, principalmente pelo seu grande tamanho aparente.
Resolvi utilizar como parâmetro para relatar as observações, o meu telescópio refrator com o F/15, e com uma objetiva acromática de 4.1/8" de abertura (103mm) e 1575mm de dist. focal da marca Jaegers.
Dentre os instrumentos com uma boa abertura, o 103mm com um F longo, no caso com 1575mm de dist. focal, resulta num perfeito acromatismo nas imagens obtidas, aumentando ainda mais o contraste. Por isso afirmo que o F longo, o F/15, faz dele um apocromático, pois acromatismo e contraste perfeitos são o objetivo de um Apo por causa do seu F curto.
Como todos os instrumentos, o F/15 tem os seus limites, a saber a perda de luminosidade se o forçar-mos a irmos além do coeficiente máximo teórico de resolução. Noto os efeitos do acromatismo perfeito nele trabalhando com no máximo o coeficiente 2.5 (257x de aumento). Além desse aumento as imagens nele começam a perder luminosidade. Mas para observações planetárias com boas imagens, 257x está de excelente tamanho.
Escolhi o estudo de Jupiter também pela proximidade de uma oposição para daqui a quatro meses.
Utilizando em Jupiter esse meu refrator Jaegers de 103mm F/15 com uma ocular de 10mm (157x) ou uma de 9mm (175x) e um filtro #82A-azul ou um #82B-light blue, não passo mais de uns 15 a 20 minutos sem ter uma surpresa, pois obtenho imagens excepcionais das faixas, das bandas (zonas) mais claras entre as equatoriais e as temperadas, as polares aparecem destacadas das temperadas, o súbito aparecimento de manchas brancas ovais e o de manchas escuras irregulares são mais frequentemente registrados, falhas circulares nas bordas da faixa equatorial norte e estrias esbranquiçadas nela são também notadas, além do contorno irregular nas bordas das faixas em geral, além de "penachos" equatoriais adentrando a zona equatorial.
Quanto às suas luas, trânsitos, projeções de sombras no disco do planeta, imersões e emersões, são um espetáculo à parte dessas pequeninas luas que se apresentam sob a aparência de esferinhas, com variações nos diâmetros e nas colorações.
Por falar em coloração, nesse refrator Jaegers que uso, as faixas se apresentam com uma coloração entre o cinza grafite e o castanho, e a GMV com uma coloração bege/castanha mais acentuada, um pouco mais escura que as zonas, e com uma aparência ovalada e alongada, enorme.
As manchas brancas ovais vem acompanhadas de contornos mais escuros, delineando a sua forma na faixa em que elas aparecem.
Ultimamente, são as zonas mais claras entre as faixas temperadas e equatoriais que tem se mostrado com bastante nitidez, como uma faixa clara contrastando entre as mais sombrias.
A cada dia Jupiter confirma mais o fama de ser um gigante dentro do sistema solar, tamanha a velocidade do aumento de seu diâmetro aparente aos nossos olhos, na sua marcha cada vez mais próxima de nós ao redor do Sol.
Vale a pena o estudo desse mundo.





Offline Bruno vieira gonçalves

  • Mensagens: 9
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
Re: observações de jupiter com um refrator F/15
« Responder #1 em: Agosto 15, 2011, 01:03:32 pm »
10/08/2011
Observação de jupiter.
Hora:
início: 04:40 / TU 07:40
término: 06:35 / TU 09:35
condições atmosféricas: excelente
instrumento: o de sempre (luneta Jaegers 103mm F/15)
oculares: plossl série 500/15mm (105x), plossl série 500/10mm (157x) e plossl OMNI/9mm (175x)
filtros: 82A e 82B azul
-Não deu outra: de imediato a GMV estava quase sobre o meridiano central, chegando a tocá-lo à 04:50 (TU 07:50). Comecei pela ocular de 15mm, pois por incrível que pareça, apesar de dispor de 3 buscadoras eu não as utilizo, pois o tubo do F/15 é tão longo, que no olho eu alinho ele com jupiter e é só colocar o olho na ocular que o gigante está lá, precisando apenas de um reajuste no foco. Inicialmente com 105x, jupiter se apresentou como uma miniatura notável.
Hoje a GMV estava belíssima, enorme como sempre na borda sul da Faixa Eq. sul, adentrando na zona tropical sul, levando consigo material da Eq. sul para delimitar os seus contornos. Um verdadeiro turbilhão se formou na faixa Eq. sul logo atrás da GMV, e uma linha branca semelhante a uma zona esbranquiçada "rasgou" a Eq. sul da GMV até o limbo leste do disco de jupiter. Ela nítidamente dividiu a faixa Eq. sul ao meio. Alguma perturbação foi notada também à frente dela, no setor oeste, no seu caminho para frente. A coloração dela estava mais para um amarelado-bege claro, e ela também provocava uma leve perturbação na faixa temperada sul.
A GMV cruzou o meridiano central exatamente às 04:50hs (TU 07:50).
Abaixo na faixa equatorial norte e na borda norte, e um pouco a oeste, foi detectada uma mancha ovalada castanho escuro que se adiantava à GMV em direção ao limbo oeste, com uma baía ou mancha oval branca ladeando a oeste.
As zonas polares, a temperada sul, a Eq. sul, a Eq. norte e as temperadas norte, norte do norte e polar norte foram fácilmente visíveis sem o uso de filtros.
Avancei para 157x + filtro 82A-azul, e me assustei com o aumento aparente do diâmetro de jupiter. Tenho absoluta certeza de que apesar de estar a uma distância beirando os 800.000.000 de km da terra, creio que nessa oposição jupiter bem poderá chegar a uns 600.000.000 de km de distância, portanto estará enorme.
A faixa Eq. norte também apresentou irregularidades nítidas nas bordas norte e sul.
Avancei mais, e colocando a ocular OMNI de 9mm (175x) e jupiter se mostrou um gigante. Que beleza essa ocular plossl OMNI 9mm da celestron, a imagem dela é puríssima.
Por volta de 05:40 (TU: 08:40) uma de suas luas a leste lançou a sua sombra exatamente na borda norte da Eq. norte.
Por falar em luas, observei a "falsa lua" a sudeste, mais duas a leste de jupiter e uma a oeste, acreditando que uma se encontrava imersa atrás de jupiter. Essa falsa lua pode ter fácilmente confundido alguém hoje, e fazer pensar que tinha-se 3 luas a leste e uma a oeste, mas a "falsa lua" manteve-se praticamente na mesma posição de ontem, apenas um pouco mais a sudeste, e com um brilho levemente azulado e com imagem puntual.
O panorama geral da imagem do gigante foi belíssimo, ótimo contraste, ótima nitidez e firme, sem mostrar as bordas trêmulas.
Foi uma noite excepcional, principalmente pela prova de resistência a que fui submetido hoje, pois venho nessa maratona ininterrupta a pelo menos mais de um mês, de domingo a domingo, mas vale a pena, e tenho de ficar em forma mesmo, pois depois da oposição de jupiter teremos marte rumando para outra oposição. Estou fadado a acordar antes do meu galo cantar, mas não tem preço que paga as imagens que a cada dia vejo com o diâmetro aparente aumentando a cada semana, mais nitidez e riqueza de detalhes.
Bem, por hoje é isso, amanhã tem mais se Deus quiser.

Att. Bruno

refrator Jaegers 103mm f/15




Offline Bruno vieira gonçalves

  • Mensagens: 9
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
Re: observações de jupiter com um refrator F/15
« Responder #2 em: Agosto 17, 2011, 11:09:50 pm »
Hora:
início: TU 07:00
término: TU 08:33
condições atmosféricas: excelente, com a umidade do ar em torno dos 10%
instrumento: luneta Jaegers 103mm F/15
oculares: série 500 de 15mm (105x), série 500 de 10mm (157x), série 500 de 6.5x (242x), Zeiss de 9mm e OMNI de 9mm (175x)
filtros: 82A-azul e 82B-light blue
-Hoje jupiter estava belíssimo, imagem estável, firme nas bordas, e apesar do brilho da lua o céu de fundo apresentava-se bastante escuro.
Uma lua foi observada a leste, três a oeste, sendo uma a sudoeste e duas a noroeste. As estrelas de fundo apareceram em maior número, tendo três a oeste e duas a leste.
Todas as faixas mais evidentes estavam visíveis, a saber a zona polar sul e norte, a temperada sul com uma parte mais grossa a oeste, as equatoriais, a temperada norte e a norte do norte.
Exatamente às 04:35 (TU 07:35) a GMV entrou no limbo leste do disco. Apresentava-se nítida, com os contornos mais escuros e com uma coloração cinza grafite escuro nas bordas dela. Esses contornos mostravam claramente o material da faixa Eq. sul sendo levados para delimitá-la. Um risco claro a delimitava por baixo como uma fina zona na faixa Eq. sul, e atrás o tradicional turbilhão na faixa que a acompanha sempre que a observo.
Na faixa Eq. norte pude observar uma nodosidade castanha a leste, uma baía esbranquiçada próxima ao meridiano central, e uma mancha oval castanho escuro elipsóide na borda norte da Eq. norte.
Um pequeno penacho Eq. de coloração cinza grafite foi observado, dessa vez partindo da borda norte da Eq. norte e adentrando na zona tropical norte.
Gostaria de salientar que em se tratando de refratores não é preciso tentar observar a qualquer custo com aumentos elevados, pois as mais belas imagens eu obtive hoje foram com uma ocular de 15mm (105x), com nitidez absoluta da GMV e dos demais acidentes relatados.
Att. Bruno
Refrator Jaegers 103mm F/15

Offline Bruno vieira gonçalves

  • Mensagens: 9
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
Re: observações de jupiter com um refrator F/15
« Responder #3 em: Novembro 13, 2011, 09:58:08 am »
04/11/2011
Observação de Jupiter.

Hora: início às 00:30hs (TU/UT 03:30) e término previsto em 02:30hs (TU/UT 05:30)
Instrumento: Luneta Jaegers 103mm F/15 montagem azimutal de coluna
Oculares: 9mm (175x), 10mm (157x) e 15mm (105x)
Filtros: #82A-azul e #82B-light blue

Hoje o céu está excepcional, magnífico, a temperatura máxima desceu para os 20º, não há ventos e o jato subtropical está bem longe da minha região (e que fique por lá!).
Por aqui os pássaros noturnos estão emitindo sons estranhos numa triste melodia, as estrelas cintilam preguiçosamente e a Lua que caminha para o 9º dia de lunação está afundando no horizonte nesse momento, fazendo desta madrugada um quadro perfeito nas suas primeiras horas. Que noite!
Resolvi fazer essa postagem agora enquanto observo pois ví em Jupiter uma coisa muito interessante.
Primeiramente, a imagem de Jupiter está excepcional, o rei dos planetas está gigante no campo do F/15, imenso, e os detalhes que consigo observar estão muito nítidos. Vejo três luas a leste e uma a oeste. Com certeza uma das luas a leste irá realizar um trânsito por volta das 03:00hs (TU/UT 06:00).
De imediato estou constatando as duas faixas equatoriais, as faixas temperada norte e a norte do norte, a faixa temperada sul (mais grossa hoje), as zonas polares e as demais. A faixa equatorial sul apresenta hoje algumas irregularidades na borda sul, e no seu interior posso ver algumas estrias ou flóculos esbranquiçados em toda a sua extensão. Infelizmente nenhuma mancha oval branca, nem a oval BA e muito menos a GMV puderam serem observadas pois estavam ocultas atrás do planeta.
A faixa equatorial norte apresenta irrregularidades na borda norte, com um ligeiro estreitamento próximo ao meridiano central de Jupiter, e uma mancha oval escura pode ser vista um pouco a leste do meridiano central. Tenho agora certeza absoluta de que essas ovais escuras tem o seu diâmetro alterado pois hoje essa mancha está um pouco mais estreita, não há duvidas pois ela é uma velha conhecida minha.
O que me causou espanto (pela segunda vez) foi o comportamento da faixa temperada sul, pois próximo ao meridiano central ela apresenta uma bifurcação onde um dos lados segue rumo ao norte, adentrando na zona tropical sul. Nunca havia observado isso antes, e essa ramificação que sai dela não é muito grande, talvez comparando baseado na minha memória visual cerca de duas vezes o comprimento longitudinal da GMV. A coloração dessa bifurcação é a mesma da faixa, uma mistura de cinza-grafite e castanho escuro. Essa bifurcação está se movendo em direção ao limbo oeste aparentemente na mesma velocidade que a mancha oval escura em direção ao oeste também. Não tenho a menor idéia do que ela seja. Há algum tempo atrás, a cerca de um mês, observei uma faixa que se alongou por todo o disco do planeta no mesmo sentido, mas hoje eu vejo esta bifurcação onde a ramificação não é totalmente retilínea, parecendo serpentear na base e na extremidade um pouco para o nordeste e o sudoeste.
Se algum colega observou e leu essa postagem, gostaria de saber se também viu ou registrou esse acontecimento. Vou dar continuidade às observações e se eu constatar mais algum evento inesperado volto e comunico.
Att. Bruno.


Offline batman

  • Astro-Curioso
  • **
  • Mensagens: 97
  • Karma: +2/-0
  • Paulo Roldão Baptista
    • Ver Perfil
Re: observações de jupiter com um refrator F/15
« Responder #4 em: Novembro 13, 2011, 11:30:28 pm »
Tenho feito também várias observações de Júpiter mas não vi ainda com atenção as imagens que obtive para ver se captei esse fato que revela. De qualquer forma, não sei a minha webcam consegue captar esses pormenores. Logo que possa vou analisar.

Offline Bruno vieira gonçalves

  • Mensagens: 9
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
Re: observações de jupiter com um refrator F/15
« Responder #5 em: Novembro 15, 2011, 04:11:27 am »
Obrigado pela atenção batman e conto com o seu apoio e dos colegas. A superfície de Jupiter não raro apresenta fenômenos desconcertantes.
Um abraço.

Tags: