Autor Tópico: Médicos franceses farão cirurgia sob gravidade zero  (Lida 859 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline PauloSantos

  • Grupo Galáctico
  • Astro-Avançado
  • *****
  • Mensagens: 1541
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
Médicos franceses farão cirurgia sob gravidade zero
« em: Setembro 27, 2006, 02:09:52 pm »
Cirurgiões franceses pretendem realizar nesta quarta-feira a primeira operação à gravidade zero, a bordo de um avião em queda livre, para criar o efeito da ausência de gravidade. A equipa espera que a experiência sirva de teste para cirurgias reais de astronautas no espaço.

Dominique Martin, chefe da unidade de cirurgia plástica do hospital universitário de Bordeaux, pretende remover um cisto de tecido adiposo (lipoma) do antebraço do paciente voluntário Philippe Sanchot.

A operação, de 11 minutos, será realizada em 31 sequências, durante as quais o Airbus 300 Zero G vai voar fazendo arcos e entrando em queda livre por 22 segundos por vez, disse Martin ao jornal francês Libération.

Num centro cirúrgico especialmente desenvolvido, com 2 x 2 metros, os instrumentos cirúrgicos serão mantidos imóveis por fortes ímans, e os cirurgiões estarão presos por cintos de segurança.

O ambiente, criado com a ajuda de uma fábrica de elevadores, tem o objetivo de no futuro ser instalado na Estação Espacial Internacional ou numa base na Lua, disse Martin.

"Hoje, se houver uma emergência absoluta lá, um hematoma intracraniano, por exemplo, não podemos fazer nada", disse ele. "E, mais cedo ou mais tarde, teremos de enfrentar o problema."

Nas condições normais, a operação de quarta-feira seria um procedimento simples realizado sob anestesia local. Sem gravidade, o trabalho dos cirurgiões é mais difícil e as reações do corpo do paciente são diferentes.

"O débito cardíaco fica reduzido, o que cria um stress vascular. O sangue não é bombeado do mesmo jeito. O mais importante é que ele flutua para fora da ferida na forma de esferas, por isso tivemos de criar um aspirador especial de vácuo para contê-lo", disse Martin ao jornal.

As operações do futuro no espaço serão realizadas com robôs especiais, controlados desde a Terra, com a ajuda de anestesistas humanos a bordo. "Hoje, um robô não tem como operar em condições sem gravidade. Estamos a aprender a programá-lo para trabalhar no nosso lugar", disse ele.

Fonte: Agência Reuters
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por PauloSantos »


Paços de Brandão/Stª Mª Feira

Latitude 40º 58\' 01"
Longitude -8º 34\' 59"
Altura 138m

Offline Iridium

  • Astro-Curioso
  • **
  • Mensagens: 84
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
(sem assunto)
« Responder #1 em: Setembro 27, 2006, 02:23:25 pm »
Eu não gostava de ser a "cobaia" dessa cirurgia, mas o tema é muito interessante e de certeza necessário para um futuro próximo..
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por Iridium »
Espaço...
A ultima fronteira...

º

Offline Fil

  • Moderador Global
  • Astro-Avançado
  • *****
  • Mensagens: 2621
  • Karma: +5/-0
    • Ver Perfil
(sem assunto)
« Responder #2 em: Setembro 27, 2006, 06:41:36 pm »
31 sequências!.. Ai coitado.. 20 segundos cada intervenção.. Espero no mínimo dos mínimos que a cirurgia seja de borla.. Mas eles deviam pagar mais ao doente!
E vão deixar o tipo "aberto" entre cada queda livre?
Espero que os médicos não deixem os bisturis a pairar no ar em frente ao doente...
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por Fil »
Fil.
GOAAA

Offline PauloSantos

  • Grupo Galáctico
  • Astro-Avançado
  • *****
  • Mensagens: 1541
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
(sem assunto)
« Responder #3 em: Setembro 27, 2006, 08:53:28 pm »
Citação de: "Fil"
31 sequências!.. Ai coitado.. 20 segundos cada intervenção.. Espero no mínimo dos mínimos que a cirurgia seja de borla.. Mas eles deviam pagar mais ao doente!
E vão deixar o tipo "aberto" entre cada queda livre?
Espero que os médicos não deixem os bisturis a pairar no ar em frente ao doente...

ehehe
Acho q está tudo controlado 8)

Citar
Num centro cirúrgico especialmente desenvolvido, com 2 x 2 metros, os instrumentos cirúrgicos serão mantidos imóveis por fortes ímans, e os cirurgiões estarão presos por cintos de segurança.
(...)
O sangue não é bombeado do mesmo jeito. O mais importante é que ele flutua para fora da ferida na forma de esferas, por isso tivemos de criar um aspirador especial de vácuo para contê-lo.


 :wink:  :wink:
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por PauloSantos »
Paços de Brandão/Stª Mª Feira

Latitude 40º 58\' 01"
Longitude -8º 34\' 59"
Altura 138m

Offline Iridium

  • Astro-Curioso
  • **
  • Mensagens: 84
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
(sem assunto)
« Responder #4 em: Setembro 27, 2006, 10:53:48 pm »
MERIGNAC, França (Reuters) - Cirurgiões franceses realizaram com sucesso uma cirurgia considerada a primeira da história em condições de gravidade zero, num procedimento que esperam ter servido de teste para uma cirurgia eventual em astronautas no espaço, em caso de necessidade.

Dominique Martin, chefe da unidade de cirurgia plástica do hospital universitário de Bordeaux, removeu um lipoma (um cisto de gordura) do antebraço do paciente voluntário Philippe Sanchot.

"Ocorreu tudo de acordo com nossas expectativas. Hoje realizamos um teste de factibilidade", disse Martin numa entrevista coletiva num aeroporto perto de Bordeaux, no sul da França.

A operação durou cerca de 11 minutos, divididos em 32 trechos, durante os quais o Airbus 300 Zero G teve períodos de 22 segundos de queda livre, para reproduzir as condições de gravidade zero.

Num centro cirúrgico especialmente desenvolvido, com 2 x 2 metros, os instrumentos cirúrgicos foram mantidos imóveis por fortes ímãs, e os cirurgiões ficaram presos por cintos de segurança.

"Se tivéssemos duas horas de gravidade zero contínua, poderíamos ter feito uma operação de apendicite", disse Martin.

O ambiente, criado com a ajuda de uma fábrica de elevadores, tem o objetivo de no futuro ser instalado na Estação Espacial Internacional ou numa base na Lua, disse Martin ao jornal francês Libération.

"Hoje, se houver uma emergência absoluta lá, um hematoma intracraniano, por exemplo, não podemos fazer nada", disse ele. "E, mais cedo ou mais tarde, vamos enfrentar o problema."

Nas condições normais, a operação de quarta-feira seria um procedimento simples realizado sob anestesia local. Sem gravidade, o trabalho dos cirurgiões é mais difícil e as reações do corpo do paciente são diferentes.

"O débito cardíaco fica reduzido, o que cria um estresse vascular. O sangue não é bombeado do mesmo jeito. O mais importante é que ele flutua para fora da ferida na forma de esferas, por isso tivemos de criar um aspirador especial de vácuo para contê-lo", disse Martin ao jornal.

As operações do futuro no espaço serão realizadas com robôs especiais, controlados desde a Terra, com a ajuda de anestesistas humanos a bordo.

"Hoje, um robô não tem como operar em condições sem gravidade. Estamos aprendendo para programá-lo para trabalhar em nosso lugar", disse ele.

Fonte: Yahoo News


E um extra que encontrei:  :o

« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por Iridium »
Espaço...
A ultima fronteira...

º

Tags: